24/08/2016
Números verdadeiros, enfim...
O IBGE elabora estudos para modificar a sistemática nos cálculos do desemprego no país. A metodologia atual leva em conta apenas os trabalhadores que perderam seu emprego e estão em busca de uma nova ocupação. Se forem incluídos no novo cálculos as pessoas que sequer procuram emprego, o número atual, de 11 milhões de desempregados, ultrapassará os 50 milhões. Temer acerta em ordenar a revisão da metodologia do IBGE. Que o Brasil viva uma nova fase de transparência, e que os tempos de pedaladas sejam sepultados junto com o impeachment de Dilma.

Postado por Roberto Jefferson às 13:15
[3 Comentários]  [Envie esta mensagem]
meu perfil
 Ex-deputado, 62 anos, advogado, cantor amador e motociclista  
Na Prateleira
histórico
links
- Correio Braziliense
- Cristiane Brasil
- Época
- Folha de São Paulo
- O Estado de São Paulo
- O Globo
- Valor Econômico
- Veja
busca
CONTATO
- Fale Conosco
Acessos
000000008066786
Siga-me no twitter
Siga-me
Dê uma nota para este blog

Indique este Blog
WebMaster
WebDesigner
Teresa Ferrão
24/08/2016
Fracasso subiu à cabeça

Um dia antes do início do julgamento final do processo de impeachment, a defesa da presidente afastada Dilma Rousseff colecionou mais algumas derrotas para a sua já extensa coleção de infortúnios desde que a Câmara aceitou a denúncia contra a petista, em dezembro do ano passado. O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, negou o pedido de anulação de todo o processo, feito pelo advogado-geral de Dilma, José Eduardo Cardozo. A defesa pediu a anulação da decisão de pronúncia, com a alegação de que o procedimento da votação das "questões preliminares e prejudiciais" ocorreu com "violação ao devido processo legal" e ao direito de defesa da presidente afastada. Lewandowski rejeitou o recurso. O presidente do Supremo também rejeitou o pedido de absolvição sumária da presidente, feito por José Eduardo. Segundo o argumento de Lewandowski, não existe essa previsão na Lei de Impeachment. Ele acrescentou que, ainda que exista a possibilidade desse recurso na Lei Penal, não há fato concreto que permita a aplicação dessa interpretação no caso específico de Dilma. Apesar de os defensores de Dilma repetidamente passarem vergonha, as chicanas continuarão, até mesmo depois de a "presidenta" perder o cargo em definitivo.


Postado por Roberto Jefferson às 06:10
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
24/08/2016
Com amigos assim...

Na antevéspera do início de seu julgamento decisivo pelo Senado, a presidente afastada Dilma Rousseff participou de um evento em São Paulo, organizado pelo onipresente Guilherme Boulos (um dos poucos que ainda permanecem ao lado dela), e disse que, graças à democracia, não foi obrigada a renunciar nem a se suicidar, "como obrigaram Getúlio". Pelo visto, quem mais quer que Dilma renuncie, ou se suicide, é o próprio partido dela. Em reunião ontem, a cúpula do PT rejeitou, por 14 votos a 2, a proposta apresentada pela presidente afastada, de convocação de um plebiscito sobre antecipação das eleições de 2018. Os dirigentes do partido dizem que esta proposta não tem capacidade de atrair senadores contra o impeachment. Se nem o próprio partido de Dilma acredita ou apoia essa conversa fiada de novas eleições, como os parlamentares dos outros partidos vão acreditar?


Postado por Roberto Jefferson às 04:37
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
24/08/2016
Tragédia na Itália

Terremoto que atingiu o centro da Itália esta madrugada já ceifou 73 vidas até agora. Vamos nos unir ao papa Francisco e rogar aos céus pelos italianos nesse momento de dor.


Postado por Roberto Jefferson às 03:01
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
24/08/2016
Sob pressão

Polêmica entre o Supremo Tribunal Federal e o Ministério Público Federal após o vazamento da delação da OAS para a revista "Veja" ainda vai render, até porque estamos em momento crucial das investigações da Lava Jato. Etapa em que estão para emergir as delações de ex-presidentes e executivos da Odebrecht e da OAS, duas das maiores empreiteiras do país e que, sabidamente, eram próximas dos governos petistas de Lula e Dilma. Há muita opinião sobre o imbróglio rodando por aí, além de muitos interesses em jogo. Prudência e caldo de galinha fazem muito bem à saúde, principalmente quando, como agora, o país está mergulhado num mar de incertezas. Antes é preciso concluir a novela do impeachment; até lá, o cenário deve clarear, e os ânimos, serenarem.


Postado por Roberto Jefferson às 01:39
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
23/08/2016
Dilma, a demolidora

A presidente afastada Dilma Rousseff disse, em entrevista para o SBT, que estava conversando com senadores para convencê-los a não votar a favor do impeachment dela. Hoje a "Folha" expôs a quantas andava uma dessas "conversas" com senadores. Segundo o jornal, a pedido de parlamentares do Maranhão, Dilma exigiu que a cúpula nacional do PT interviesse no diretório maranhense, para romper aliança eleitoral com o PCdoB do governador Flávio Dino em cinco cidades, e firmasse acordo com outros partidos. Resultado da negociação de Dilma: o PT só conseguiu o rompimento em duas das cinco cidades, o PCdoB, um dos únicos partidos que continuou ao lado da "presidenta", entrou em crise com o PT, e os três senadores que estavam em negociação com Dilma acabaram expostos à opinião pública. Ela é mesmo uma elefanta em loja de cristais.


Postado por Roberto Jefferson às 05:54
[1 Comentários] [Envie esta mensagem]
23/08/2016
Lavanderias no lugar de gráficas

Como já se podia imaginar, os técnicos do TSE que receberam a missão de realizar uma perícia nas empresas que prestaram serviços à campanha de Dilma Rousseff concluíram que elas não conseguiram provar que realizaram o trabalho para o qual foram remuneradas. As empresas receberam mais de R$ 20 milhões da campanha de Dilma e do PT, e não possuíam maquinário, funcionários ou mesmo estrutura para entregar os materiais relacionados nas notas fiscais apresentadas pelo comitê petista. Também não foram encontradas comprovações de que outras empresas foram contratadas de forma terceirizada, para fazer o serviço que elas não tinham capacidade de realizar. Ou seja, o TSE está prestes a comprovar que o partido da bandeira vermelha, em vez de contratar gráficas para imprimir material de campanha, preferiu destinar a uma série de lavanderias os milhões arrecadados em doações


Postado por Roberto Jefferson às 03:11
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
23/08/2016
OEA confirma: o golpe é na Venezuela

As mesas da Câmara e do Senado, em resposta a questionamentos feitos pela OEA sobre a legalidade do processo de impeachment de Dilma, afirmaram o óbvio: que não houve violação à Constituição e foi assegurado a ela o amplo direito de defesa, apesar da reclamação do PT de que o processo seria "ilegal". Ao mesmo tempo em que questiona o impeachment, a OEA condena o governo da Venezuela, dizendo que lá não mais existe uma democracia, e sim uma "tirania". Por que os petistas, os únicos aliados de Maduro, ficaram calados sobre essa decisão da OEA?


Postado por Roberto Jefferson às 03:00
[2 Comentários] [Envie esta mensagem]
23/08/2016
Boa notícia

Senadores vão retomar os debates sobre a reforma política, que infelizmente anda a passo de tartaruga Entre os temas a serem examinados na próxima quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a cláusula de desempenho para acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de propaganda no rádio e TV e o fim das coligações entre partidos nas eleições proporcionais ("O Globo"). De acordo com a proposta em discussão, para que os partidos tenham acesso ao Fundo e ao tempo de rádio e TV, eles precisam obter, inicialmente, 2% dos votos válidos para deputado federal em todo o país, sendo que esse percentual terá que ser atingido também em pelo menos 14 estados (em 2022, o percentual subiria para 3%); no caso das coligações proporcionais, a ideia é acabar com a possibilidade de o eleitor votar em um candidato e eleger outro. Exemplo emblemático é o do deputado Tiririca, dono de uma montanha de votos: como o PR era coligado ao PT, o palhaço beneficiou candidatos do partido de Lula. A adoção da cláusula de barreira e o fim das coligações proporcionais vão dar mais racionalidade ao sistema eleitoral. O difícil será convencer os pequenos partidos, conhecidos como "nanicos".


Postado por Roberto Jefferson às 01:09
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
22/08/2016
Mentiras, mentiras, mentiras...

A presidente afastada Dilma Rousseff, em entrevista para correspondentes internacionais, há alguns dias, acusou Michel Temer de querer dar um "golpe dentro do golpe", com a proposta de limitar os gastos públicos. Dilma disse que Temer "ataca os investimentos na área social, querendo limitar os percentuais máximos para a saúde e educação". Parlamentares do PT e do PCdoB reproduzem o mesmo discurso, que se refere à PEC 241, em discussão na Câmara. Segundo o site "O Antagonista", tanto Dilma quanto os petistas e seus áulicos sequer se deram ao trabalho de ler o texto da proposição. A PEC impõe que não partirá do Poder Executivo a determinação de quais gastos e programas deverão ser contidos no âmbito da elaboração orçamentária. "O Executivo está propondo o limite total para cada Poder ou órgão autônomo, cabendo ao Congresso discutir esse limite. Uma vez aprovada a nova regra, caberá à sociedade, por meio de seus representantes no parlamento, alocar os recursos entre os diversos programas públicos, respeitado o teto de gastos", diz o texto da proposta, mas Dilma e seus defensores não estão interessados em falar a verdade.


Postado por Roberto Jefferson às 04:55
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
22/08/2016
Alçando voo

Quanto mais o impeachment de Dilma Rousseff vai se aproximando, mais vão melhorando as perspectivas para os indicadores da economia deste e do próximo ano. O boletim Focus de hoje trouxe uma nova elevação na projeção do PIB de 2017, e agora espera-se um crescimento de 1,20% (contra 1,10% projetados na última semana). Para este ano, a estimativa é de retração de 3,20%, a mesma da pesquisa anterior. Com relação à inflação, a projeção foi cortada no próximo ano, caindo de 5,14% para 5,12%. Em 2016, a estimativa para a inflação foi mantida em 7,31%. O cenário, enfim, é de retomada, lenta e progressiva, e com a finalização do processo de impeachment, acompanhada de uma sensível recuperação no ambiente externo, temos tudo para ter um ano de 2017 melhor do que os três últimos anos de governos petistas.


Postado por Roberto Jefferson às 03:03
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
22/08/2016
Crime de lesa-pátria

"É difícil saber o que é mais cínica, se a campanha que o PT tem promovido no exterior para difamar as instituições brasileiras depois que se viu desmoralizado no próprio País ou se a tentativa de Lula de garantir que não existe no Brasil ninguém mais honesto do que ele próprio. O fato é que denegrir a imagem do País na tentativa de criar a pressão externa para beneficiar os interesses políticos do lulopetismo e promover a imunidade criminal de seus líderes é um comportamento sórdido e irresponsável. Mas era o que se podia esperar dos inspiradores e autores materiais do mensalão, do petrolão e de outros delitos." Trecho do editorial de hoje do "Estadão", com o título "Por Lula, PT difama o Brasil".


Postado por Roberto Jefferson às 02:48
[0 Comentários] [Envie esta mensagem]
22/08/2016
Fala, presidente!

Se tudo ocorrer como o previsto no impeachment, isto é, o afastamento definitivo de Dilma Rousseff (que já vai tarde até para o PT, que não vê a hora de se livrar dessa "zika"), Michel Temer pretende fazer seu primeiro pronunciamento à nação no dia em que o país celebra o Dia da Independência, 7 de setembro. A fala presidencial, um direito conquistado por Temer de acordo com a Constituição brasileira, contudo, já preocupa integrantes de sua equipe, que receiam que ele seja alvo de um panelaço, conta o Blog do Josias. Não estranharemos se houver, uma vez que o PT não perde a chance de repisar a farsa do "golpe". Sugiro que Michel não suspenda o pronunciamento; se os petistas não querem ouvir o presidente legalmente entronizado falar, há milhões de brasileiros querendo. O resto é inveja da "turma da lambança".


Postado por Roberto Jefferson às 11:30
[1 Comentários] [Envie esta mensagem]
22/08/2016
Uma longa travessia

Passadas as Olimpíadas, o país volta à pauta política: impeachment, reformas estruturais, eleição; temas certamente menos atraentes do que as disputas entre atletas, mas fundamentais para que emirjamos do fundo do poço. A pauta do Legislativo é alentada, e exigirá do Planalto a árdua tarefa de negociar as reformas com a coalizão de partidos que o sustenta. Os interesses a administrar são muitos, razão pela qual o respeito à institucionalidade é fundamental, evitando-se o toma lá dá cá. O 1º passo dessa travessia começa com a conclusão do impeachment.


Postado por Roberto Jefferson às 10:54
[6 Comentários] [Envie esta mensagem]